4 dicas de Dalai Lama para uma vida mais feliz

Dalai Lama conta como encontrar equilíbrio quando se trata de religião, sustentabilidade e negócios

Veja dicas do líder espiritual para você viver com mais harmonia:

Sustentabilidade

 

“Acredito que a preocupação com a sustentabilidade tem crescido bastante e, certamente, está maior do que há 20 anos. Ainda existem países, como Índia e China, que dão uma importância maior à ecologia nacional do que global. Porém, em encontros e fóruns internacionais dos quais participo, vejo que o entusiasmo com essa questão aumenta cada vez mais. Precisamos tanto de paz quanto de um mundo sustentável. Não há como escolher entre um e outro”.

Negócios

 

“Ética é a maior transformação que deve acontecer para um mundo de negócios mais justo. É preciso mais ética, que gera mais autodisciplina, trazendo mais honestidade. Essa característica, por sua vez, torna uma pessoa mais transparente, com mais confiança e respeito, ou seja, com a dose certa de harmonia para uma comunidade mais feliz”.

Equilíbrio

 

“Podemos encontrar a religião no dia a dia por meio de preces, meditação, recitação e cânticos, mas tudo isso requer prática. É desse modo que enxergamos nossa mente. Quando conversamos com as pessoas, é preciso de prática para não sentir raiva, ódio ou medo delas. É preciso lembrar que se tem uma religião para não se deixar levar por esses sentimentos. Fazer uma prece ou meditar é como uma refeição: nos dá energia para o que vamos fazer posteriormente. O mais importante é saber usar a energia  e colocá-la em prática não só dentro de casa, mas fora”.

Religião

 

“Falo com um ser humano entre os sete bilhões de seres humanos. Somos todos iguais, independente de religião, fé, partido político, país. Todas essas questões fazem parte de um nível secundário. Se você dá muita importância para esse nível, surgem os problemas, negligencia-se a unidade elementar. O mundo é um só, é preciso ser honesto como ser humano; é necessário cuidar do mundo. Necessitamos de um esforço coletivo para criar uma harmonia genuína, com base na ética. Independente da religião, todas elas têm um mesmo fim: amor, perdão, harmonia e disciplina. Tenho amigos verdadeiros que são cristãos, judeus, muçulmanos, hinduístas. Há essa terceira via, que não passa necessariamente pela religião, que é o fato de usar o bom senso, de compartilhar boas experiências. O objetivo comum é construir a paz interior, para uma família feliz e, por consequência, uma comunidade feliz”.



Voltar página inicial   Voltar página inicial