Encontro entre anjos encarnados

Apesar de existir uma farta literatura sobre os anjos, ainda assim, em se tratando de temas ligados à espiritualidade, desconhecemos muitas coisas. Por isso, é preciso pesquisar, aprofundar mais a respeito desse assunto. A minha pesquisa sobre os anjos teve início quando criei em 2006 a TRE (Terapia Regressiva Evolutiva) – A Terapia do Mentor Espiritual. Foi nas sessões de regressão que os mentores espirituais de alguns pacientes lhes revelaram que eram anjos encarnados.

Na ocasião, pela minha ignorância acerca desse assunto, fiquei surpreso, pois não sabia que havia entre nós anjos encarnados que convivem conosco -muitas vezes lado a lado-, podendo até ser um membro de nossa família. Acreditava que os anjos são almas tão evoluídas que não precisavam mais encarnar. Ledo engano!

Em verdade, os anjos são realmente almas evoluídas, mas encarnados nesta vida terrena, são pessoas normais, com seus conflitos, anseios e problemas como qualquer encarnado, sujeitos também às vibrações de dor, medo e ira, próprios do planeta Terra. Porém, diferenciam-se de outros encarnados pela sua pureza de alma. Por conta disso, são muito sensíveis, sentem muito a dor alheia e, por isso, sensibilizam-se com os problemas sociais, talvez muito mais do que a maioria das pessoas. Ficam profundamente incomodados, angustiados com as atrocidades, as mazelas praticadas pelos seres humanos (roubos, estupros, assassinatos, fome, miséria, destruição da natureza, etc.).

Portanto, pela pureza de espírito, muitos não conseguem lidar com os problemas terrenos. Se não forem bem orientados, ficam perdidos, confusos, desorientados, por não suportarem a maldade humana. Mas quando bem orientados, retomam o caminho a que vieram nesta jornada, que é o de ajudar o próximo em todas as áreas do saber humano: medicina, ciência e tecnologia, diplomacia, direito, economia, artes, música, etc. Desta forma, são muito úteis à humanidade. Entretanto, na vida amorosa, os anjos encarnados costumam encontrar dificuldades em se relacionar, a não ser que o(a) parceiro(a) seja uma alma afim, um anjo encarnado também. Mas por que encontram essa dificuldade? Porque os anjos encarnados são livres, independentes, não suportam se sentirem presos, tolhidos em suas ações. Seu espírito, sua essência é livre, desapegada. Daí a importância de encontrar também um companheiro, uma alma afim, que esteja sintonizado com o seu modo livre de viver.

É o caso de uma paciente -uma alma-anjo encarnada- que procurou a TRE para entender por que não conseguia encontrar um homem que a amasse verdadeiramente, pois não conseguia firmar-se em seus relacionamentos afetivos.

Caso Clínico: Por que não encontro um homem que me ame verdadeiramente?
Mulher de 40 anos, solteira.

A paciente veio ao meu consultório querendo entender por que não encontrava um homem que a amasse verdadeiramente e que assumisse o relacionamento; por isso, não conseguia ter um relacionamento afetivo duradouro. Sentia-se carente, frustrada, infeliz e, com isso, desenvolveu uma compulsão alimentar como válvula de escape. Após passar por duas sessões de regressão, na 3ª e última sessão, assim me relatou: Vejo um jardim muito bonito do plano espiritual, cheio de crianças e de mulheres, tomando conta delas.

No meio das crianças, sai uma menina de três anos, vem em minha direção, pula em meu colo, agarra-se em meu pescoço e diz: – Oi! (pausa). Ela está agora se transformando, retrocedendo ao útero materno, e estamos ligados pelo cordão umbilical… Sou a mãe dela, mas a vejo como um feto sem vida, morto. Peço que ela me mostre o que foi que lhe aconteceu.

Agora ela retrocede na minha barriga, no 7º mês de gestação… A minha barriga está saliente, estou desesperada, descabelada, ando na areia de uma praia – é uma vida passada – e entro no mar.

Eu me suicidei, vejo o meu corpo boiando na água… Dois seres de luz nos socorrem, resgatam os nossos espíritos, levando-nos para uma luz maior. Estou sorrindo e a menina, minha filha, que está no meu colo, também sorri. Agora estamos bem e penso: aquela vida não deu certo!

Vejo agora uma cena da vida atual, tenho 25 anos, estou grávida de novo dessa menina, mas com muito medo do parto. Passo mal, desmaio, e acabo tendo um aborto espontâneo; a menina sai em espírito, subindo em direção ao céu, e me fala: – Mamãe, não deu certo de novo!

Peço perdão, chorando, por ter sido fraca novamente, e ela me diz: – Não tem problema! Estamos abraçadas… Agora ela se transforma numa jovem, me abraça e diz que me entende. Imploro pelo seu perdão, mas ela pede para eu não ficar triste, que ela está bem, num lugar bom. Fala que eu preciso me perdoar, pois ela está bem. (pausa). Vejo agora no consultório o meu mentor espiritual se aproximando; ele é bem alto, sua luz é dourada, segura as minhas mãos e fala: – Nós precisamos de você e de outros anjos encarnados nesse processo de transição do planeta Terra… Ele joga uma luz azul em meu peito, fala que é para marcar os seres que vão ser protegidos por eles, e para que saibam onde estamos posicionados na Terra. Afirma que a minha missão é salvar o maior número possível de almas. Eu lhe pergunto sobre os seres das trevas que me assediam constantemente. Ele diz: – Você está com uma barreira de proteção; eles até chegam perto de você, mas não podem ultrapassá-la, pois está protegida. O meu mentor espiritual me esclarece que estou superestimando os seres das trevas, pois a força do bem, do Universo, é muito maior, por isso não se deve dar um peso maior às trevas. Afirma ainda que o meu grande aprendizado é transpor desafios, ver-me livre, deixar para trás os meus medos. Assegura, no entanto, que está sempre me ajudando, pois é o meu mentor espiritual. Ele estende a sua mão e me leva novamente naquele jardim do plano espiritual com crianças e fala: – Escolha! (pausa).

Vejo um menino de dois anos, cabelo castanho, encaracolado, e o pego no colo. Pergunto se posso escolher mais uma criança. Ele diz que sim, e vejo agora uma menina loirinha, sentada, ela está um pouco triste… Aproximo-me dela e ela me dá a mão. O menino continua em meu colo. O meu mentor espiritual revela que essas duas crianças serão os meus futuros filhos, e que a menina loirinha virá primeiro. Mas lhe pergunto quem será o pai dessas crianças? Ele me mostra um homem forte, fala que ele é um anjo encarnado, um guerreiro da luz, e que será o meu futuro marido. Ele usa um bigode, barba, aparenta ser mais velho e mais maduro do que eu.

O meu mentor espiritual diz: – Com ele, você não perderá sua essência, sua liberdade, pois vocês são almas afins, anjos encarnados. Esse homem vai ser para você uma fonte de energia, irá lhe trazer paz e confiança, será atencioso, generoso, querendo sempre o seu bem. Seus relacionamentos afetivos não deram certo até agora porque você sempre teve medo de perder sua liberdade. Mas questiono como vou ter dois filhos se já estou com 40 anos? Ele me responde: – Seus dois filhos podem vir com um ano de diferença! (pausa).

Agora ele me mostra grávida, feliz, sorridente, de mãos dadas com aquele homem (nessa terapia, o mentor espiritual do paciente pode lhe mostrar não só uma cena de uma vida passada – regressão de memória, mas também uma cena futura – progressão de memória -, caso julgar que isso é necessário, útil)”. Pergunte ao seu mentor espiritual se ele tem algo a lhe dizer de sua compulsão alimentar – Peço à paciente. “Ele me orienta que quando tiver ímpeto, compulsão em comer em demasia, respirar fundo e pedir a Deus e às legiões do bem para me limparem, e que eu volte ao meu equilíbrio. (pausa). Ele esclarece que quando entro na compulsão alimentar, baixo a minha energia e, guardada a devida proporção, diz que me alimento como aqueles homens primitivos da idade da pedra. Entretanto, quando sintonizo com a luz, eu me elevo, passo a ter uma fome normal, natural e equilibrada.(pausa). Peço agora para que ele me dê um pouco de energia, pois estou precisando, e me coloca dentro de sua luz. O meu mentor espiritual é bem grande, fico na altura de sua barriga”.

– Pergunte-lhe se você terá que voltar a essa terapia – Peço à paciente. “Ele responde: – Vamos ver como você caminha! (pausa). Mas intuo que ele diz que seria bom eu voltar mais para frente nessa terapia… Agora o meu mentor espiritual está realinhando os meus chacras, o meu campo de energia. Fala que se eu tivesse o mesmo equilíbrio e clareza emocional que ele, iria conseguir fazer sozinha esse realinhamento, isto é, eu me autocuraria. Esclarece que a gente pode expandir, fazer isso de dentro para fora com a nossa própria energia. Esclarece ainda, que a nossa essência, nosso Eu Superior, está no chacra cardíaco, por isso é preciso expandir o núcleo de energia do chacra cardíaco para o resto do corpo. Fala que isso é a verdadeira autocura, e que é uma questão de praticar.

Ele sorri, segura as minha mãos, e diz: – Vá em paz porque sempre estarei com você!

Osvaldo Shimoda é colaborador do Site, terapeuta, criador da Terapia Regressiva Evolutiva (TRE), a Terapia do Mentor Espiritual – Abordagem psicológica e espiritual breve. Ministra palestras e cursos de formação de terapeutas nessa abordagem. Ele atende em seu consultório em São Paulo. Fone: (11) 5078-9051
Email: osvaldo.shimoda@uol.com.br

Voltar página inicial   Voltar página inicial