O que a Bíblia diz sobre os anjos

A Bíblia está literalmente cheia de referências aos santos anjos de Deus. Mas quem são os anjos e o que podemos aprender sobre eles?

Estas são algumas das perguntas que fazemos sobre os anjos. Vejamos o que a Bíblia diz sobre esses tópicos.

O que a Bíblia diz sobre os anjos

Qual o aspeto dos anjos? Por que eles foram criados? E o que os anjos fazem? Os humanos sempre tiveram um fascínio por anjos e seres angélicos. Durante séculos, os artistas tentaram capturar imagens de anjos em telas.

Pode surpreendê-lo saber que a Bíblia descreve os anjos em nada como eles são tipicamente retratados nas pinturas. Uma passagem em Ezequiel 1:1-28 dá uma brilhante descrição dos anjos como criaturas de quatro asas. Em Ezequiel 10:20 , nos é dito que esses anjos são chamados de querubins.

Fatos fascinantes sobre anjos na Bíblia

A maioria dos anjos na Bíblia tem a aparência e a forma de um homem. Muitos deles têm asas, mas não todos. Alguns são maiores que a vida. Outros têm vários rostos que parecem um homem de um ângulo e um leão, boi ou águia de outro ângulo.

Alguns anjos são brilhantes, brilhantes e ardentes, enquanto outros parecem humanos comuns. Alguns anjos são invisíveis, mas sua presença é sentida e sua voz é ouvida.

Os anjos são mencionados 273 vezes na Bíblia. Embora não vejamos todos os casos, este estudo oferecerá uma visão abrangente do que a Bíblia diz sobre essas criaturas fascinantes.

1. Os santos anjos:
Nosso primeiro texto bíblico é do Evangelho de Marcos 8:38. Aqui estão as palavras de nosso Jesus: “Pois quem se envergonhar de mim e das minhas palavras nesta geração adúltera e pecadora, dele também o Filho do homem se envergonhará, quando vier na glória de seu Pai com os santos anjos”.

Esta declaração usa as próprias palavras: “Os Santos Anjos”. Os anjos são chamados santos em outros lugares da Bíblia, por exemplo, em Mateus 25:31 e Apocalipse 14:10. Na Bíblia, lemos sobre muitas coisas sagradas, particularmente as próprias Escrituras Sagradas, o Espírito Santo e agora os santos anjos.

2. Os anjos foram criados por Deus:
No segundo capítulo da Bíblia, nos é dito que Deus criou os céus e a terra, e tudo que neles há. A Bíblia indica que os anjos foram criados ao mesmo tempo em que a terra foi formada, mesmo antes da criação da vida humana.

Assim foram terminados os céus e a terra, e todo o seu exército. (Gênesis 2:1)
Pois por ele foram criadas todas as coisas nos céus e na terra, visíveis e invisíveis, sejam tronos, sejam potestades, sejam principados ou potestades; todas as coisas foram criadas por ele e para ele.

3. Os anjos foram criados para viver eternamente:
As Escrituras nos dizem que os anjos não experimentam a morte.

…nem podem mais morrer, pois são iguais aos anjos e são filhos de Deus, sendo filhos da ressurreição.

4. Os anjos estavam presentes quando Deus criou o mundo:
Quando Deus criou os fundamentos da terra, os anjos já existiam.

Então o Senhor respondeu a Jó da tempestade. Ele disse: “…Onde você estava quando eu lancei os fundamentos da terra?… enquanto as estrelas da manhã cantavam juntas e todos os anjos gritavam de alegria?”

5. Os anjos são seres espirituais:
Como seres espirituais, os anjos não têm corpos físicos verdadeiros.

Quem faz de Seus anjos espíritos, Seus ministros uma chama de fogo.

6. Três anjos têm nomes na Bíblia:
Apenas três anjos são mencionados pelo nome nos livros canônicos da Bíblia: Gabriel, Miguel e o anjo caído Lúcifer, ou Satanás.

7. Apenas um anjo na Bíblia é chamado de Arcanjo:
Miguel é o único anjo a ser chamado de arcanjo na Bíblia. Ele é descrito como “um dos principais príncipes”, então é possível que existam outros arcanjos, mas não podemos ter certeza.

Conclusão
A presença e a obra dos santos anjos são simplesmente parte do amor e cuidado de Deus por nós. Estamos dispostos, de todo o coração, a amá-Lo e servi-Lo? Bem podemos rezar com as palavras de Francisco de Assis:

“Senhor, conceda que eu busque antes…
consolar – do que ser consolado;
Compreender — do que ser compreendido;
Amar — do que ser amado;

Pois é dando que se recebe:
é esquecendo-se de si que se encontra;
É perdoando que se é perdoado;
É morrendo que se desperta para a vida eterna.”