Por que o amor intenso e apaixonado mexe com nosso corpo e nossa mente?

amor-e-paixao

“Paixão é uma infinidade de ilusões que serve de analgésico para a alma. As paixões são como ventanias que enfurnam as velas dos navios, fazendo-os navegar. Outras vezes podem fazê-los naufragar, mas se não fossem elas, não haveriam viagens nem aventuras nem novas descobertas.” (Voltaire)

Quando estamos apaixonados, geralmente fazemos coisas que podem parecer um pouco estranhas e que em condições normais nunca faríamos. Por causa dessa sensação de euforia que o amor nos causa ficamos confusos, assustados, engraçados, e tudo ao mesmo tempo causando até algumas mudanças em nossas vidas.

Estudos conseguiram identificar explicações fisiológicas e neurológicas para alguns dos sintomas mais comuns da conhecida ‘doença de amor’: aceleração dos batimentos cardíacos, nervosismo, foco obsessivo e sudorese.

A conclusão é que o amor intenso e apaixonado realmente pode mexer com nosso corpo e nossa mente, afetando desde a nossa fala até o nosso modo de andar. Veja abaixo alguns sintomas:

Quando estamos apaixonados ficamos mais distraídos
Pessoas apaixonadas têm menor capacidade de se concentrar e de realizar tarefas que exigem atenção. Quando estamos no início de uma relação amorosa, é comum haver uma maior dificuldade de focar em outras coisas, porque boa parte de nossos recursos cognitivos são usados para pensar na pessoa amada.

O amor age em nosso cérebro como uma droga
Isso pode ser provado através de uma ressonância magnética. Quando nos apaixonamos, o mesmo sistema neural ligado ao vício em drogas é ativado, causando a sensação de euforia. As pessoas sentem um imenso entusiasmo quando estão apaixonadas, algo que também pode ser sentido sob o efeito de drogas.

Nossa sensibilidade à dor fica menor
Esqueça os analgésicos, talvez você só precise de um pouco de romance. Algumas áreas do cérebro ativadas pela paixão são as mesmas usadas por medicamentos para reduzir a dor. Na verdade, o simples ato de dar as mãos à sua cara-metade é capaz de aliviar a dor.

O amor deixa nossos passos mais lentos
Isso vale para os homens. Pesquisadores descobriram que eles ajustam a velocidade de nossos passos com o ritmo de nossa amada, um fenômeno não observado quando eles caminham com uma mulher que é considerada apenas uma amiga.

Nossos batimentos cardíacos mudam para combinar com os da pessoa amada
Estudos sugerem que, quando estamos apaixonados, nossos corações batem na mesma velocidade que o de nossos parceiros, mantendo o mesmo ritmo.

Nossa voz fica diferente
Mulheres tendem a usar um tom mais agudo quando falam com homens que consideram atraentes. Pesquisas também sugerem que às vezes os apaixonados tentam imitar os gestos ou o tom de voz de seus parceiros, uma forma de expressar afeto e sintonia.

Ficamos cegos
Alguns estudos mostram que pessoas em relacionamentos sérios, que só pensam em seus parceiros chegam a evitar olhar para pessoas atraentes do sexo oposto, involuntariamente, o que é chamado de ato inconsciente de viés não intencional.

Nossas pupilas ficam dilatadas.
Será que isso quer dizer que os olhos são realmente uma janela para a alma? Estudos sugerem que a dilatação da pupila está relacionada a estados emocionais intensos, estar apaixonado é um deles.