Terapia do Luto

O luto é uma emoção poderosa. Depois de perder alguém que você ama, a tristeza pode parecer esmagadora. Os seres humanos são criaturas sociais, e os laços que estabelecemos com os outros são fortes e significativos.

A perda de um ente querido é, sem dúvida, uma das dificuldades mais difíceis que sofreremos na vida, mas é possível avançar. Se você estiver disposto a tomar as medidas necessárias, poderá redescobrir uma vida cheia de alegria.

Terapia do Luto

A terapia do luto contribui para a recuperação de pessoas que estão vivendo a experiência da perda, da morte de entes queridos.

Saiba como ela funciona e como ela pode ajudar nesse momento difícil.
A maior parte das pessoas não sabe como enfrentar a morte de alguém querido.

A terapia do luto ajuda quem sofre essa perda a buscar dentro de si o que ainda dá sentido à sua vida, para reconstruí-la.

A presença da morte é algo que deveria ser considerado um processo natural, mas acaba se convertendo em uma experiência dolorosa e quase insuportável.

Quando temos uma perda o início é difícil, é como uma ferida que tem de ser tratada. O processo para curar essa ferida é longo e doloroso.

Quando não bem resolvido, o luto pode causar inúmeros problemas na vida do enlutado, como depressão, problemas de ansiedade, síndrome do pânico e até doenças de fundo emocional.

Por isso, vivenciar esse período adequadamente e aprender a lidar com os sentimentos envolvidos na perda de alguém querido é muito importante.

Como funciona a terapia do luto?

A terapia do luto ainda não é muito conhecida no Brasil, embora seja normal na Inglaterra e nos Estados Unidos.

Nestes países um esforço interdisciplinar, que une terapeutas, psicólogos e psiquiatras, contribui para a recuperação de pessoas que estão vivendo a experiência da perda, da morte de entes queridos.

Estes pacientes são orientados e conduzidos neste difícil processo de trazer para o plano da consciência a dor e o sofrimento, pois reprimi-los nos subterrâneos do inconsciente só contribui para que a pessoa passe a viver um luto crônico, incessante.

Desse modo, é necessário que ela extraia de dentro de si todos os sentimentos e emoções ligadas a esta carência.

A meta desta terapia é eliminar, gradualmente, a dor que se cristaliza no interior daqueles que vivenciam a morte de alguém importante, bem como a rejeição do evento, os sutis processos de escape e o temor do porvir.

O profissional ajuda o indivíduo a compreender que a morte é um processo natural, que atinge a todos em algum momento da vida.

O que o leva a ver esta ocorrência como algo comum, não enquanto um fato excepcional e místico.

O que é, afinal, vivenciar o luto?

É permitir que a dor venha, passe, e aos poucos se desvaneça, assim como as saudades, a melancolia, qualquer traço de culpa ou de remorso que invada o íntimo do ser enlutado.

Também é essencial falar sobre o morto, e não fingir que nada aconteceu. Só assim será possível alcançar a catarse que ameniza a dor e deixa o coração livre do que o oprime.

O ramo terapêutico que estuda este campo, e do qual deriva a terapia do luto, é a Psicologia da Morte.

Esfera que investiga os fatores sócio-psicológicos que estão relacionados ao Luto e a qualquer esforço de encarar as perdas mais profundas.

Esta terapêutica se direciona não só àqueles que enfrentam a dor da morte, mas também aos que passam por enfermidades que aproximam o paciente desta realidade.

O mecanismo de orientação não demanda mais que dez sessões, e às vezes pode até se resumir a um único encontro; tudo depende das condições em que o paciente se encontra.

Como buscar apoio?

Hoje, existem inúmeros profissionais e grupos de ajuda com voluntários treinados que prestam o aconselhamento de enlutados.

Algumas entidades que atuam nesse segmento são:

Vamos falar sobre o luto: plataforma digital de informação e conforto para pessoas enlutadas.

Nesse site, você encontrará histórias inspiradoras, reflexões e dicas sobre como lidar com o luto, além de poder enviar mensagens e escrever sua história no confessionário — com total sigilo dos seus dados pessoais;

API (Apoio a Perdas Irreparáveis): rede de apoio a pessoas enlutadas que promove reuniões de partilha, atuando em várias cidades de Minas Gerais. Também é possível ler depoimentos e participar de cursos;

GAL (Grupo de Apoio a Enlutados): é mantido pela SOTAMIG — Sociedade de Tanatologia e Cuidados Paliativos de Minas Gerais — e realiza atendimentos gratuitos a enlutados em Belo Horizonte.

Além desses, existem vários psicólogos e psiquiatras que prestam esse tipo de serviço em inúmeras cidades do país.

Se você está passando por um momento complicado e sente que precisa de ajuda para lidar com o luto, não hesite em buscar apoio.