Por que Deus não responde as minhas orações?

Muitas vezes encontramos pessoas perguntando por que Deus não responde suas orações, já que acreditam em Deus, depositam sua fé, esperança e confiança nele.

Por que Deus não responde as minhas orações?

Quando surge um problema em nossa vida, seja de ordem profissional, amoroso ou de saúde, uma das primeiras coisas que a maioria das pessoas fazem é orar e pedir a Deus por sua intervenção, mas algumas vezes e nada parece acontecer. Nesse momento elas pensam: onde está Deus? Ele está me ignorando? Há algo de errado com minhas orações?

Mas, muitos não sabem a verdade, ou seja, Deus responde a todas as nossas orações. Ele nem sempre responde da maneira que gostaríamos. Basicamente, Suas respostas são sim, não e espere.

Muitas vezes Deus responde direta e rapidamente às nossas orações afirmativamente. Ele organiza as circunstâncias em que somos assistidos, os problemas são resolvidos, somos curados, as finanças melhoram etc. Quando isso acontece, ficamos satisfeitos. Deus nos ama. Mas, se Deus não responde da maneira que queremos, significa que Ele não nos ama? Claro que não.

Mas então, às vezes, não agradecemos a ele por responder à oração e, outras vezes, consideramos a solução algo que fizemos e não Deus. Porém, temos que ter cuidado e não atribuir à nossa capacidade uma solução como resposta à oração, onde na verdade é Deus quem nos deu a capacidade de resolver o problema. Então, sempre dê a ele a glória.

Contudo, há momentos em que Deus definitivamente não nos dá o que queremos, porque, em última análise, não é a vontade dele. Deus tem um plano para nós e pode ser tão sofisticado que, se você responder afirmativamente a um pedido específico, ele pode, por assim dizer, atrapalhar o plano geral que Deus tem para nós no futuro.

Além disso, Deus pode não querer responder afirmativamente às nossas orações, porque o que estamos pedindo é pecaminoso. Talvez nós queremos um carro novo não porque precisamos dele, mas porque simplesmente o queremos.

Talvez desejemos um emprego melhor, não porque desejamos promover o reino com mais dinheiro, mas porque queremos ter uma TV maior. Nossa motivação é importante na oração e Deus conhece nossos corações e nossas necessidades. Ele equilibra essas coisas para nosso benefício. Afinal, as Escrituras dizem:

Salmo 66:18: “Se eu considerar a maldade em meu coração, o Senhor não ouvirá”.

Tiago 4:3: “Você pede e não recebe, porque pergunta com motivos errados, para que possa gastá-lo nos seus prazeres”.

Há também momentos em que Deus quer que esperemos antes que as orações respondam. Podemos pedir que algo aconteça, que uma solução seja dada e que Deus responda de forma afirmativa, que devemos ter paciência enquanto esperamos que Ele resolva a resposta.

Infelizmente, porém, muitas vezes ficamos impacientes e pensamos que, porque uma resposta não veio rapidamente, Deus não está respondendo a isso. Mas, o fato é que, às vezes, as respostas às nossas orações levam um tempo para se manifestar.

A oração é uma coisa interessante. O que estamos fazendo é morar na presença de Deus e pedir a Ele que nos ajude, ou salve alguém, ou ajude alguém, etc. E, como normalmente somos míopes, não vemos a imagem geral; às vezes pensamos que porque não conseguimos o que pedimos, podemos opor-se a Deus e assumir que Ele não nos ama ou que talvez nem esteja ouvindo.

Mas isso é perigoso, porque coloca nossos sentimentos pessoais acima da vontade de Deus e isso pode nos desviar. O fato é que devemos ter fé em Deus e pedir que sua vontade seja realizada, não a nossa.

Hebreus 11:6: “E sem fé é impossível agradá-Lo, pois quem vem a Deus deve crer que Ele é e que é recompensador daqueles que O buscam”.

Filipenses 4:6–7: “Não anseie por nada, mas em tudo pela oração e súplica com ação de graças, faça com que seus pedidos sejam conhecidos por Deus. E a paz de Deus, que ultrapassa toda a compreensão, guardará seu coração e sua mente. em Cristo Jesus”.

Digamos que as águas de um rio estejam fluindo e ele represente a vontade de Deus. O que muitos de nós queremos é correr ao longo do rio em nosso próprio caminho e ocasionalmente mergulhar nele quando nos convém.

Às vezes, nosso próprio caminho nos afasta daquele rio e às vezes mais perto dele. Gosto de pensar em não andar pelo caminho, mas pular no rio e ser carregado na vontade de Deus. Dessa forma, estou sendo levado para onde a vontade de Deus quer que eu vá e minhas orações refletem estar na Sua vontade, não fora dela, percorrendo meu próprio caminho, meus próprios desejos o tempo todo, esperando que a vontade de Deus e a minha coincide.

Lucas 22:42: “Pai, se quiser, retire de mim este cálice; todavia, não a minha vontade, mas a sua seja feita.”

João 5:14: “Esta é a confiança que temos diante dEle, de que, se pedirmos algo de acordo com Sua vontade, Ele nos ouvirá”.

Assim, podemos dizer que, às vezes, Deus responde às nossas orações com um sim definitivo, às vezes com um claro não e às vezes Ele quer que esperemos.

Deus não é nosso servo e nossas orações a Ele, embora muitas vezes sinceras e necessárias, devem sempre ser submetidas à Sua vontade soberana final.

Assim como Jesus se submeteu à vontade do Pai e, embora Ele não quisesse passar pela crucificação, ele escolheu fazê-lo de qualquer maneira (Lucas 22:42), porque era a vontade de Deus. Portanto, também devemos sempre procurar realizar a vontade de Deus, mesmo que seja difícil para nós aceitar e nem sempre o que queremos.