Quem foram os 12 apóstolos escolhidos por Jesus?

Conheça quem foram os 12 Apóstolos escolhidos por Jesus de acordo com as Sagradas Escrituras para o acompanhar em sua missão na terra.

Os 12 Apóstolos

De acordo com os escritos de Lucas 6,12 no Novo Testamento, Jesus escolheu 12 homens para o acompanhar, eles formariam o núcleo da comunidade nova que ele veio criar. A palavra Apóstolo significa aquele que Jesus envia para continuar a sua obra.

Além de precisar de auxiliares, Jesus precisava de testemunhas oculares de seu ensino, de seu ministério, de sua morte e de sua ressurreição e também de substitutos. O propósito de Jesus ao escolher os Doze apóstolos também tem uma passagem em Marcos: “E nomeou doze para que estivessem com ele e os mandasse a pregar; E para que tivessem o poder de curar as enfermidades e expulsar os demônios.”

Depois de sua escolha, eles permaneceram com Jesus por algum tempo, sendo instruídos para a obra que realizariam dali por diante. Mais tarde, foram especificamente comissionados e enviados para pregar e ministrar pela autoridade de seu Sacerdócio.

Outra passagem do propósito da escolha também aparece no novo testamento: “desde o batismo de João até o dia em que Jesus foi elevado dentre nós às alturas. É preciso que um deles seja conosco testemunha de sua ressurreição.” (At 1.22). Ou seja, de pessoas que dessem continuidade à pregação de arrependimento e da chegada do reino dos céus. De pessoas convictas de sua ressurreição e dispostas a anunciá-la com entusiasmo e destemor.

Os doze Apóstolos escolhidos

  • Pedro, (ou Simão);
  • André, (irmão de Pedro);
  • Tiago, o maior, filho de Zebedeu;
  • João Batista, irmão de Tiago, (o apóstolo João);
  • Filipe;
  • Bartolomeu (também chamado de Natanael);
  • Tomé (também chamado de Dídimo);
  • Mateus, (também chamado de Levi);
  • Tiago, o menor, filho de Alfeu;
  • Judas, também chamado Lebeu, (ou Judas Tadeu);
  • Simão, o zelote;
  • Judas Iscariotes, (aquele que traiu Jesus).

Além dos doze, houveram outros?

Após a traição de Judas Iscariotes, que arrependido cometeu suicídio, os outros apóstolos escolheram Matias, que também tinha acompanhado Jesus, para tomar seu lugar.

Apesar de Paulo não ser considerado um dos escolhidos de Jesus Cristo, pois não acompanhou o ministério do filho de Deus, o viu glorificado em uma visão depois que ressuscitou. Paulo converteu e pregou o evangelho, trabalho dos apóstolos, e assim foi considerado um apóstolo, também.

Alguns intérpretes da Bíblia acreditam que Paulo, por escolha de Deus, tenha sido quem realmente substituiu Judas Iscariotes. Nesse caso, ele passaria a pertencer ao seleto grupo de Jesus. Seu trabalho foi reconhecido como o trabalho de um apóstolo.

A Bíblia também lista Barnabé, Andrônico e Júnias. Provavelmente foram homens que acompanharam Jesus em sua missão.